2016-03-13

Perdoem-me deuses da música

Estou neste momento a ver o Got Talent Portugal em que o concorrente Miguel Carvalho, um rapaz de 16 anos, apresenta o seu talento: pianista.
Quem me conhece sabe que sempre tive uma grande paixão pelo piano, embora nunca tenha seguido a via profissional. E foram várias as peças que toquei, especialmente de Chopin e Beethoven, os meus 2 favoritos. Mas nunca pratiquei horas suficientes para tocar a peça que ele tocou agora: o 3º andamento da Soana ao Luar de Beethoven. É uma peça muito rápida e, consequentemente, muito difícil tecnicamente.

E o que acabei de ver nesta meia-final, foi um rapaz jovem com muita técnica já para a sua tenra idade a tentar tocar essa peça. Sim, eu disse tentar. Porque o que ele fez foi assassinar uma das mais bonitos músicas de Beethoven. Fiquei chocado !!! E também zangado !!! E não pelo que vocês poderão pensar, ou seja, não tanto pelos enganos (que foram tantos que foi o suficiente para alterar a música, que conheço de olhos fechados) mas pelo facto dele ter tentado tocar uma das peças mais difíceis tecnicamente que existe, sem ter preparação mental para tal. Culpo a 100% quem quer que o tenha "encorajado" a escolher esta peça especifica. Havia tantas que ele poderia ter tocado e teriam saído bem, com certeza.

Esta é daquelas músicas que, como é tão rápida, é fácil haver um deslize nos dedos. O problema é quando depois dos primeiros erros, não se consegue controlar os nervos e os erros se sucedem uns atrás dos outros, alterando por completo a música. Foi o que aconteceu.
Os nervos deram cabo dele completamente e espero que isto sirva de lição para a família, especialmente, por o fazer passar por isto sem colocar algum travão, uma vez que não é obrigação dum miúdo de 16 anos perceber se está com força mental suficiente para tocar uma peça.

Ao ouvir o Manuel Moura dos Santos a comentar, até acho que ele foi brando.
Ao ouvir a Mariza a comentar, dizendo que o que ele fez foi espetacular, só o percebo se ela não conhecer esta música minimamente ou apenas porque queria poupar o rapaz a mais comentários negativos.

Com certeza daqui a 10 anos quando ele for profissional (e espero que ele siga a via profissional da música) olhará para este momento e dirá para ele mesmo: "Como é que fui capaz de fazer aquilo à música e ninguém me disse para eu escolher outra?"
Este é um erro que vejo muita gente cometer, infelizmente. Veem que um miúdo tem técnica e querem "encoraja-lo" logo a tocar as peças mais difíceis, só para mostrar que tem velocidade. Meus amigos, isso é o caminho para o abismo.

6 comentários:

Margarida disse...

Concordo. O miúdo não tem maturidade suficiente... a culpa não foi dele. Foi quem de o incentivou... fico triste por ele não ter uma base consciente a apoia-lo :(

Linda Blue disse...

Jedi, tu tecla?
You rock!

Não resisto: :P

Jedi Master Atomic disse...

Margarida -> Isto deixa-me zangado.

Linda Blue -> I don't rock. I pop :P

Sci disse...

Há muitos pais e familiares que desconhecem o valor (ou o significado, sequer) de uma crítica construtiva.

grassa disse...

Eu é mais banjo e bandolim. De piano só conheço o de porco e o de vaca.

Jedi Master Atomic disse...

Sci -> Eles que vão à wikipédia :P

grassa -> Acho que deves conhecer melhor o de vaca, seu porco :P