2013-05-29

Função caracol

Eu até percebo e tem toda a lógica que os funcionários públicos estejam contra esta história de lhes irem aumentar o horário de trabalho. Se já custa estar 7h por dia sem fazer nada, imaginem 8h.

Coitadinhoooooooooos. Que pena que tenho deleeeeeeeeeeeeeeeeeees. Como é que vão sobreviver agora? Como vão conseguir rearranjar os horários do spa?

Até me dá um aneurisma só de pensar nisso :P

21 comentários:

Carlota Pires Dacosta disse...

Como funcionária pública acho injustíssimo este post.
As 7h de trabalho, são mesmo de trabalho, não de emprego. Quando chega a hora de almoço, se há gente para atender, só almoçamos quando tiver tudo terminado e tenho chegado muitos dias a almoçar às 15h.
E mesmo se tivesse horário para o spa, não tinha dinheiro. Não podemos colocar todos os funcionários públicos no mesmo saco.

Y2000k disse...

Acho muito bem, se os outros têm que trabalhar 8horas porque é que os funcionários só têm que trabalhar 7.

PinUp Me disse...

Não colocando todos os funcionários públicos no mesmo saco, como diz a Carlota e muito bem, os que conheço (da velha guarda) são um pouco como o Jedi diz... Aliás, sempre tiveram imensas regalias, saiam cedo e trabalhavam pouco...
Claro que não é por isso que o País está como está, está por consequência de todos nós andarmos a viver acima das possibilidades há mais de 30 anos.
No entanto trabalhar 12h por dia já eu estou habituada desde sempre, é uma questão de hábito ;) lol calha a todos!

Brandy & Mr. Whiskers disse...

É mais que certo e sabido que muitos funcionários públicos não mexem uma palha mas tal como já aqui comentaram, não podem ser todos metidos no mesmo saco.
Você fala assim, tem essa opinião, porque se calhar desconhece a realidade de algumas das profissões da função pública. Por exemplo, os professores do 1º ciclo têm que passar essas horas enfiados numa sala a tentar fazer o seu trabalho / aturar putos de 7 anos que não têm a ponta de educação, e depois ainda têm que aturar os paizinhos dos meninos que conseguem ser tão ou mais mal educados que os filhos.
De facto há sempre quem esteja bem mas também há quem não esteja assim tão bem.

Jedi Master Atomic disse...

Carlota Pires Dacosta -> Queres-me dizer que é injusto terem que trabalhar 8h em vez de 7h, é isso? Já agora, eu trabalho no privado e não faço parte de nenhum sindicato, logo não tenho direito à greve. Queres comparar direitos? Podem perfeitamente trabalhar mais 1h por dia.

Y2000k -> Exato.

PinUp Me -> Não defendo o trabalhar 12h por dia. Mas se os trabalhadores do privado têm 8h por dia, porque não hão-de ter os do publico?

Brandy & Mr. Whiskers -> Podes tratar-me por "tu". No blog não há formalismos.
Os professores, normalmente, trabalham até mais do que 8h por dia, portanto a esses esta alteração não vai afetar em nada.

Pusinko disse...

Acho que devem trabalhar 8h mas não acho que sejam todos lerdinhos que passam o dia a coçar a micose.

De resto, antes um aneurisma inteirinho que um furúnculo no rabo (nunca tive nenhum nem conheço quem tenha tido mas parece-me incómodo o suficiente :-P

Jedi Master Atomic disse...

Pusinko -> looooool
Eu não disse que eram todos lerdinhos. Apenas fiz uma paródia à figura do funcionario publico, tal como se faz anedotas de alentejanos.

Mamã de Peep-Toe disse...

Ò homem tu nem digas uma heresia dessas!! À conta da minha critica à greve,apanhei logo com uma anónima fofinha! Não se pode expressar opiniões em relação aos funcionários pudicos!É óbvio que isto não se aplica a todos! Há quem trabalhe e seja afável e tudo o mais. Mas grande parte deles não são produtivos e são mal criados. Os que atendem ao publico. Enfim não se devia generalizar,mas irritam.

Carlota Pires Dacosta disse...

Funcionários públicos, alentejanos, tens alguma coisa contra a minha pessoa??!! eheheh.
De facto não podemos colocar todos no mesmo saco, pois mesmo nós (funcionários públicos)que trabalhamos, atendemos ao público, somos simpáticas, atenciosas e sim, falamos com os utentes fora do serviço também (não somos mal educados) nos irritamos com a velha guarda que se encosta à sombra do chefe e nos faz questão de lembrar que quem "manda" são eles. O que fazer? Sorrimos e quando os vemos escorregar, vamos lá dar o empurrãozinho final.

Turtle disse...

Os meus pais são funcionários públicos e não se chatearam. Quer dizer, a minha mãe não ficou especialmente contente por ter de aturar malucos durante mais uma hora, mas enfim XD

Maria Pitufa disse...

Acho este post particularmnente Injusto! Tens noção que por exemplo os funcionários judicias a seção fecha o atendimento ao público e eles ficam lá a despachar serviço...os professores adoravam trabalhar 40h semanais, mas trabalham bem mais... o Homem Mais Sortudo do Planeta quando entrou trabalhava 42h só depois é regularizaram para 40. E assim sucessivamente..acho que não devemos generalizar assim...

Jedi Master Atomic disse...

Mamã -> Pois, é a vida. Aguenta com as críticas :P

Carlota -> Eu até sou 25% alentejano :P

Turtle -> Glad for them :P

Maria Pitufa -> Eu tenho noção do que são horas extra, pois também as faço quando é necessário. Este post não é para essas pessoas.

Maria Pitufa disse...

Sim mas basicamente tratas todos os funcionários públicos por igual...não percebo esta guerra aos funcionários públicos... como se fossem uma raça a parte vegetativa..como se um médico não atendesse pessoas que trabalham num público e num privado, como se um professor não desse aulas a um miúdo filho de um trabalhador privado e ao filho de um funcionário publico..e assim sucessivamente!
Então também te digo não percebo porque é que o Estado há-de sempre cortar nos salários dos funcionários públicos quando precisa de dinheiro bem como os respectivos subsídios, não percebo porque motivos é que não hão de ter direito a subsidio de desemprego bem como as indemnizações por despedimento colectivo...

Jedi Master Atomic disse...

Maria Pitufa -> O post é para ser lido com humor e não muito a sério. Já devias saber.

Maria Pitufa disse...

Mas posso-me indignar senhor Jedi? Ai, querem lá ver que já nem aqui me posso indignar?? Ai...

Jedi Master Atomic disse...

Indigna-te moça, indigna-te :P

Maria Pitufa disse...

Muito agradecida!

Wendy disse...

Tens toda a razão! A mania de reclamarem tudo e um par de botas. Os funcionários públicos nunca estão bem. O problema foi que sempre se habituaram a ter um estatuto protegido e isso agora está a acabar. É assustador para eles? Pois acredito que sim, mas é o justo. Todos deve ter os mesmos direitos, é um dos mantras da democracia e deve ser aplicado. E claro que não são todos iguais, porque a minha mãe trabalhou a vida quase toda na função pública e fartou-se de trabalhar para vir com uma reforma de merda para casa, mas ela trabalhava demasiado porque havia 3 ou 4 no departamento dela que se encostavam. Em 1000 empregados da função pública, 100 trabalham bem e 900 trabalham mal. É essa a realidade. Mudar a mentalidade da função pública vai ser complicado, mas é o melhor que se faz. Os serviços nacionais e a administração pública são o maior cancro de portugal. Nunca fui tão mal-tratada como nos serviços públicos nacionais e nunca vi tanta desorganização e falta de produtividade como na função pública. Mas atenção, no privado também há inúteis, mas esses são despedidos enquanto que a função pública era o el dorado dos encostados, ignorantes e preguiçosos. Ainda bem que tudo isso está a mudar! Aliás, reformulo, espero sinceramente que isso mude.

Jedi Master Atomic disse...

Wendy -> Tu respira, mulher :P

Estudante disse...

Porque é que uns trabalham 8h e os outros trabalham 7h?... Vamos lá igualar as coisas!

Salsa disse...

e porque é que tenho que fazer turnos de 24 horas e so descansar as 24 horas seguintes!?
há 18 anos quando estive ai a trabalhar em lisboa na escravidão publica fazia turnos de 26 horas e descansava 22, isto durante semanas seguidas sem fins de semana, sem feriados, sem ferias no verão, sem natal nem ano novo.
existe muitos empregos na função publica mas tambem existe muito trabalho na função publica onde se trabalha muito alem das horas estabelecidas, desenga-se quem pensa que na função publica se ganha mais que no privado, há 20 anos quando entrei para a função publica depois de ter passado pelo privado e de ter sido despedido de duas empresas por falencia e de ter varios ordenados em atraso, vim para a função publica pois aqui nunca havia ordenados em atraso e despedimentos eram muito raros, mas actualmente ja nem isso é certo na função publica.
o engraçado vai ser daqui a 5/10 anos quando a população se deslocar a uma repartição e não houver funcionarios publicos para os atender.
nuita vezes fala-se mal da função publica, mas quando precisarem dela e ela não existe é que são o elas.
o mal deste pais esta na população, numa população que permite a corrupção dos politicos, o corporativismo dos juizes que nada fazem se não pensar na carreira, uma população que reclama de tudo e nada faz para mudar o rumo que as coisas levão.
por culpa de este dois sectores da sociedade portuguesa este pais e a sua população sofre aquilo que sofre.