2012-04-27

Rapidinha

Vim aqui só para meter nojo e deixar uma rapidinha: estou de férias desde dia 20 e irei assim continuar até dia 6 :P

2012-04-20

Cromos e Nerds



Os EUA são o país que mais tendências dita neste planeta. Tiveram os baby boomers que ao crescerem, foram criando necessidades em produtos e serviços, mas.....até noutras coisas eles conseguem influenciar-nos.

Antigamente, quem dominava a sociedade eram os pistoleiros mais rápidos, mais ágeis e mais mauzões.
Depois houve uma época, em que passaram a dominar os idealistas, os repressores e os ditadores.
Já perto de 1980 começou o reino dos desportistas e das cheerleaders, esses seres tão importantes na nossa vida e que deram origem a centenas de filmes.

E agora?
Agora, mandamos nós, meus caros. Os cromos, os nerds, os geeks da informática.
Duvidam?
Quem é que consegue mandar abaixo os servidores do pentágono?
Quem "hacka" na Base de Dados da APAF?
Quem é que poderia fazer parar a bolsa de valores dos EUA, Ásia e Europa, se quisesse?

Ah pois é !!!
E se isto já era verdade há uns anos atrás, agora vem com um bónus: as miúdas giras já não escolhem só os desportistas :P

2012-04-14

Cúmulos

O cúmulo do racismo é dar uma série sobre o Klu Klux Klan no AXN Black.

O cúmulo da amnésia é a RTP Memória.

O cúmulo da extinção é o Canal Panda.

2012-04-11

Only for cat lovers

Então é assim. A história é a de um leão adotado por 2 pessoas desde pequenino, ao qual deram o nome de Christian. Cuidaram no bicho até ele ser demasiado grande para as condições logísticas que tinham e foram obrigados a levá-lo para África e soltá-lo na savana de forma a ele poder crescer livre. A questão é que 1 ano depois, decidiram voltar a África para o visitar. Foram insistentemente avisados do perigo que corriam pois o leão já estava selvagem e não os ía reconhecer, podendo atacá-los se se aproximassem demasiado. O resultado é o vídeo que aqui vos apresento.

http://www.youtube.com/watch?v=FaOki5eGvy0

Sim, eu adoro felinos !!!

2012-04-10

A

Há pessoas que não sabem muito bem como chegaram à situação em que se encontram hoje em dia. Uns tomam decisões à queima-roupa, ou seja, à última hora, enquanto que outros planeiam todos os passos antes de os dar. Há que reconhecer valor aos que arriscam, em vez de ficarem no conforto da repetição diária (plágio vergonhoso do V for Vendetta...eh eh eh) e pensar: "Aaaaaaah, tão bem que se está aqui quietinho sem fazer nenhum".

Se virmos bem a nossa vida em retrospetiva, toda a gente quer ser feliz, no entanto, nem toda a gente sabe como lá chegar. E a culpa é do governo que não nos ensina a fazer isso. lol

Chega o verão e o pessoal, mesmo que tenha grandes dificuldades, vai à praia, passa os dias lá, em vez de resolver primeiro os seus problemas. É tipo os miúdos que chegam da escola com trabalhos para fazer e vão brincar em vez dos fazerem primeiro para ficarem despachados. A mentalidade precisa de mudar e somos nós (pais, futuros pais, avós, futuros avós) que temos que ensinar os nossos rebentos a pensar da forma correta. O que, admito que seja difícil, uma vez que também não nos ensinaram a nós.

"Isto era bom era há 50 anos atrás"
Frase épica que me faz rir cada vez que a ouço. Ai era?
Não tínhamos quase direitos nenhuns, as mulheres ainda menos, não tínhamos quase contacto nenhum com o exterior em termos culturais, saneamento básico era só para alguns, para não falar do racismo....sim sim....era mesmo bom há 50 anos atrás.

Ah caneco !!!

2012-04-03

Interrogação indireta

Quando ouvem uma pessoa (seja homem ou mulher) a dizer as seguintes frases várias vezes:
- Sou muito culto/a
- Sou muito original
- Sou muito fashion
- Sou muito ligado/a às novas tecnologias
- Sou muito caridoso/a com os outros

etc....e tal...Vamos imaginar que, de facto, a pessoa é mesmo aquilo que diz.
O que é que pensam sobre essa pessoa?
E se a mesma pessoa não disser isto ipsis verbis (loool) mas usar palavras mais indiretas?
E se a mesma pessoa não disser absolutamente nada e apenas demonstrar que é aquilo por ações?

Será que das 3 formas, conseguem pensar da mesma forma sobre essa pessoa?

2012-04-02

Agência de rating

Agora que está na moda falar-se de agências de rating, o post da Rosa Cueca deixou-me a pensar.
Na verdade as agências de rating já existem há muito tempo, com o detalhe que não tinham sido tão faladas na comunicação social, algumas até com mais de 100 anos de existência. 
MAS há 1 agência de rating que já existe há milénios !!! Chama-se Homem.

Nós somos uma agência de rating que classifica o sexo oposto (ou o mesmo, para os homos), com a diferença que a nossa opinião não tem visibilidade publica nem mundial.

Já falei um bocado sobre as classificações em posts mais antigos, mas é sempre bom lembrar que nós só temos 2 classificações gerais:
- papável
- não papável

Dentro das não papáveis, há as que podem ficar como amigas e as que ficam apenas como conhecidas.
Dentro das papáveis há as que podem ser namoradas, as que ficam como amigas e as que ficam como conhecidas. Lembram-se?

Referindo de novo o post da Rosa Cueca, a forma como nós avaliamos também não diverge muito uns dos outros, mas há uma coisa que discordo no que ela escreveu: nós não usamos o método "mc (mamas + cu)", nós usamos o "cmc" (cara + mamas + cu). E porquê? Porque se o 1º falhar (a cara) temos que ver logo se a pessoa se safa nos outros 2. Se o 1º passar os outros 2 deixam de ter tanta importância.