2009-07-06

O que fazer?

Vou lançar um desafio aos leitores, uma espécie de cenário que inventei, portanto não é verídico. Quero saber como reagiriam perante a situação apresentada e o que fariam para a tentar resolver. Não existe 1 resposta correcta. Há sempre várias maneiras de resolver uma situação. Eu depois dou a minha avaliação nos comentários. Vou ser meigo nesta porque é a 1ª. Ora vamos lá:

Você é um grande amigo do Mário. Conhecem-se e convivem juntos desde os 6 anos de idade, quando foram apresentados na primária. Têm os dois 27 anos de idade e estão agora a iniciar um novo ciclo na vida profissional, uma vez que decidiram abrir um negócio juntos. Tu és solteiro, mas o Mário é casado há 6 anos e tem 2 filhos. uma vez que a mulher dele, Maria, não faz pressões para ele deixar de sair à noite, até deixando-o ir sozinho contigo.

Numa dessas noites, o Mário confidencia-te que algo se passa entre ele e Maria, uma vez que parece que o sexo já não se faz com tanta regularidade e ela parece "mais distante". Ele tentou falar com ela sobre isso, mas ela disse que não se passava nada e que estava apenas cansada. Ele não acredita, porque a vida sexual deles sempre foi muito activa mesmo nas épocas de maior stress.

Passado uns tempos, o Mário telefona-te destroçado e diz que o divorcio parece inevitável, pois ela está muito fria com ele, dá pouca atenção aos filhos e há pouco tempo começou a chegar tarde a casa, dizendo que tem saído com amigas.

Tendo em atenção a toda a situação familiar e profissional do Mário, o que é que tu, como grande amigo dele, farias nesta situação?

37 comentários:

Olhos Dourados disse...

Epá, é muito complicado mesmo...

Jedi Master Atomic disse...

Olhos Dourados,

Isso não é uma resposta ao desafio.

♥ Guida disse...

Eu aconselhava-o a ter calma e a sentar-se com ela e a porem os pontos nos ii. Ah, e provavelmente o melhor era os dois deixarem de sair tanto e passarem mais tempo em família. Se calhar era boa ideia planearem actividades conjuntas e fugir à rotina :P Até podiam deixar os filhos nos avós alguns dias...


Beijinho

Verdinha disse...

eu concordo totalmente com a guida, eu dizia "senta-te e conversa sinceramente com ela, sem pressões, sem berros, sem dramas, apenas com sinceridade e o coração aberto."

é porque segundo a tua historia o moço sai e nunca se importou de deixar a mulher em casa, mas qd é o contrario a coisa já não sabe bem.

uma conversa sincera era o melhor

Verdinha disse...

ah e sn resultasse e ele gostasse ainda dela, eu mandava o reconquistá-la. como se a tivesse a conhecer pela primeira vez e bla bla bla

Jedi Master Atomic disse...

Muito bem,

até agora tivemos verdadeiras "respostas de gaja"....looool

Meninos, toca a responder que isto não é só para elas. Coragem !!!

pedro disse...

dizia-lhe para apimentar a relaçao e mais nao digo lol

Inês disse...

well... Eu apenas dizia: Se estás mal muda-te!
'muda de vida se não viveres satisfeito'
Os casamentos por causa dos filhos já passaram de moda e além do mais ela está a dar dos os indicios que a relação já terminou.

beijinhos*

Sophie disse...

Não vou dizer para ele ir falar com ela. Porque isso já ele tinha tentado e ela apenas dizia "estar cansada".
Secalhar aconselhada uma cena um bocado "á filme" : segui-la para ver o que ela ia fazer quando dizia q ia ter com as amigas.
Se fosse um amante, levava com os patins.

Dexter disse...

Dava-lhe todo o apoio necessário, mostrava-me disponível para falar, e muito provavelmente ia ter uma conversa com a mulher dele p ver em que pé estavam as coisas...

Luís disse...

Boa pergunta. E vai haver mesmo avaliação? Perguntava ao Mário o que já tinha feito para tentar inverter essa situação e (caso não tivesse pensado nisso) sugeria para deixar os filhos com os avós e dar uma escapadela com a Maria. Se as coisas mesmo assim não evoluissem era falar à séria e tentar reparar o que esteja de errado, se isso ainda fosse possível.

Daisy Maria disse...

Ui, esta é difícil! Mas bem, deixava-o falar tudo e dizia-lhe para não tirar conclusões precipitadas. Talvez o aconselhasse a fazer uma espécie de ultimato à mulher - ou lhe explicava claramente o que se passava, ou bye bye que não estou para viver em mentiras. Se o resultado fosse mesmo o divórcio e ele visse que a mulher continuava a não ligar aos filhos, dizia-lhe que, apesar de ser difícil, teria de conseguir o poder paternal das crianças.
Acho que é uma situação que só dentro dela conseguiria responder correctamente!

Verinha disse...

Oi,
É a primeira vez que aqui venho, cheguei através da Inês. Tens aqui um espaço muito fixe.

Eu dizia-lhe para ter uma conversa franca com a mulher, pra ver o que ela dizia, porque quando se ama lutasse com todas as forças. S depois da conversa não resultasse dizia-lhe para pensar bem se estava faliz ou não, porque viver infeliz não é viver.

Bjks***

♥ Guida disse...

Ahhh! Neste caso, o Pedro e o Luís também deram respostas de menina :P Meninos nos avós e bolinha vermelha no resto da cena são coisas de mulher? :P


Beijinho

Jedi Master Atomic disse...

Já vimos aqui um bocadinho de tudo. A radical, a stalker, a que gosta de chegar a um consenso.

Verinha,

Bem vinda. Chegaste através da Inês ???? Como é que conseguiste passar através dela?? loooooooooool

Menina do Mar disse...

bem isto é complicado...
Mas um fim-de-semana a dois para ver em que situação estava realmente o casamento é a minha sugestão. Daí para frente era ou fazer tudo para recuperar o casamento ou ir mesmo para o divorcio que no fundo seria o melhor para os 2 já que tinham concluído que já não dava...

p.s: oh jedi, mas queres transformar-nos a todos em conselheiros matrimoniais?? loool

Jedi Master Atomic disse...

Menina do Mar,

Não me parece...loool...eu estou é a ver quem daqui é que não prestava como conselheiro matrimonial :P

grassa disse...

Simples: se ele está a pensar em dar uma escapadela com uma terceira pessoa, mandava-o bater uma, esvaziar o tomatal e depois, naqueles poucos minutos em que o homem consegue discernir algo sem a conotação sexual, pedia-lhe para ver quem é que ele quereria abraçar naquele momento: se a mulher, se a outra.

Se fosse a mulher, então falaria com ela ainda mais a sério, de forma aberta e em jeito de ultimato, e uso a palavra "ultimato" porque esse deve ser sempre o último recurso quando a paciência já foi de férias.

Parece uma resposta na brincadeira, mas não é.

Verinha disse...

Isto é um poder que eu tenho, consigo chegar através do pessoal! lolololol
Se exercitares muito também consegues vais ver! lolol

Bjks***

Margarida disse...

LOOOOL. Sabes o que foi? Fiquei sem net quando estava a comentar (eram umas 10h) LOL E guardei o comentário para depois vir aqui posta-lo... e fui aos comentários do meu blogue para chegar ao teu... E, não pronto... fiquei com a janela dos comentários no meu blogue abertos e coiso LOOOOL xD Só me apercebi porque recebi um mail a dizer que eu tinha comentado no meu blogue... Enfim. LOL xDD

Margarida disse...

Não me parece que o divórcio seja a primeira solução para um problema. Até porque ele ainda não sabe a razão da mulher estar assim. Podem ser muitas. O melhor era meter uma mulher no meio para conversar com ela. Uma amiga. E depois a amiga, se ela lhe contasse, dava-lhe o conselho de falar com o marido sobre o problema dela. Ou seja, eu iria falar com ela. Eu, a amiga. Não percebi se na situação eu sou um gajo ou uma gaja. LOL. Vá supor que esou gaja... Se fosse gajo, ia falar com uma amiga dela "mas do lado do marido". Ou uma amiga dela de confiança. E pedir para ela falasse com a mulher já que ela não fala com o marido.

E já agora, não sou viciada. Acordei cedo e tudo para estudar. :P Quando estiver de férias torno-me uma viciada! Olha, eu aderi a isso de não comprar jornal desportivo. LOL. :D (atenção nunca comprei! :P)

Margarida disse...

Pronto XDD

Jedi Master Atomic disse...

Grassa,

Tu consegues ser sério quando queres :P


Verinha,

Vou agarrar no teu conselho e pô-lo em pratica. :P


Margarida,

Eu não especifiquei o sexo do amigo precisamente para cada um poder usar o seu....lol

Já deu para perceber pelo teu comentário que gostas de filmes...loooool :P

Margarida disse...

Não é filmes. LOL. Acho que é uma boa maneira. Já que ela não fala com o homem. Pkek eu não hei-de tentar sacar alguma coisa dela? Já fiz coisas parecidas e resultou. xD

Margarida disse...

*Não são filmes

Jedi Master Atomic disse...

Algumas notas antes de dar a minha opinião sobre este caso:

- Foi engraçado de notar que ninguem considerou a hipotese de "não se meter no assunto".

- Algumas pessoas preferem a abordagem "à força".

- Outros são mais passivos.

Como disse, não existe uma resposta certa, mas existem respostas (ou partes de respostas) que são claramente erradas.

Por melhores que sejam as nossas intenções, numa situação destas, intervir de forma activa COM OS DOIS é muito prejudicial. Especialmente porque nenhum de nós é um psicologo ou profissional de aconselhamento. Neste caso, claramente não temos nada que falar com a Maria, até porque não é ela que é a nossa grande amiga e sim o Mário. Assim, a intervenção deverá ser apenas com ele.

O que eu faria, seria apenas falar com o Mário (que é o meu grande amigo), dizendo-lhe que:

- Não se deve manter um casamento só por causa dos filhos. Um filho é o 1º a sofrer num mau casamento, logo é preciso protege-los disso.

- Se ele quer manter o seu casamento porque gosta muito da Maria (e não por causa dos filhos), então tem que a confrontar com isso e não pode aceitar respostas vagas. Poderá mesmo aconselhar à Maria, irem os 2 falar com um Psicologo de forma a resolverem o problema.

- Durante este período, tento retirar todo o peso burocratico que um novo negocio exige, dos ombros do Mário, de forma a dar-lhe espaço de manobra. Só o chamarei para assuntos que não passem sem ele.

As ideias da Guida, do Luis, da Verinha e da Menina do Mar parecem-me ser bastante boas.

Houve algum pessoal que não percebeu bem a história, mas pronto. Como foi a 1ª vez posso não me ter explicado muito bem. Aviso que o proximo vai ser mais dificil....muahahahahah

Verdinha disse...

desculpa la mas a mha ideia é mt boa.. puff puff puff. qd te conhecer vais ver o que te acontece XD

grassa disse...

Se metesses mais anões e potros na história, eu compreenderia melhor.

Jedi Master Atomic disse...

Verdinha,

O que é isso do "puff puff puff" ??? Estás a dar alguma passa num charro? :P:P

Quando me conheceres???? Isso é só garganta !!! É muito facil falar atrás do teclado :P:P:P


Grassa,

Isso é algum fetiche?

ALiCe disse...

Bem, dentro desta situaçao, existem dois elementos "meio" culpados, a maria porque nunca foi sair com o marido á noite (não é para ela ir para o bar ou assim, controlá-lo, mas sim se divertir com ele e com os\as amigos\as dos dois) e o mário, porque depois de tantas vezes a maria não o confrontar com o que for, por estar cansada, soa-me á normal desculpa de "caca". Como casal que gostam um do outro, a relação sexual decair por causa de ausencias e cansaços dad duas partes, soa-me tambem a duas desculpas de caca. Passa-se algo e não é bom. O meu conselho para eles, era realmente o diálogo e se chegassem a um bom acordo, sairem da cidade local e irem espairecer o romance para outro lugar, isto é, se ele ainda persistir, realmente! Quanto ás crianças concordo como dise alguem nos comentarios, que o casamento por ou p causa de crianças, esta totalmente demodé...lol Se realmente houver um divorcio...bem as crianças terao de ficar com alguem. Ate lá o casal convem focar-se nele proprio, trabalhando o seu romance e tambem apimentando a sua relação sexual...
O que sinceramente,ao meu ver, quando há amor...isso nunca falta. Mas pronto é isto.
Beijinhos
Alice**

ALiCe disse...

Ah! so agora vi que o "dono" do blog ja tinha dado os topicos para esta situaçao:S ops...a serio. n fui ver as respostas a este problema.
Mas por acaso gostei do que disseste:
"Especialmente porque nenhum de nós é um psicologo ou profissional de aconselhamento". Eu sou "Quase" licenciada em psicologia. E olha que os amigos são pessoas importantes nestas situaçoes, nao como pessoas cuscas e darem o seu parecer estupidamente, ate porque afinal de contas sao amigos á anos como referiste. Eu não preciso de dizer ao meu melhor amigo que me conhece desde k eu era um bebe, que ele pode opniar sobre algum problema meu, isso acontece espontaneamente. E se estou a partilhar os meus problemas com alguem , e porque esperamos uma resposta ou aconselhamento,certo?
O mario nao iria apenas confidenciar isso ao amigo e ele depois dizer :" Ya é lixado mário, bora fumar umas?" ...se bem que ha amigos assim ,mas...n me parece dentro dos perfis que forneceste que isso acontecesse...é quase obvio que ele estava a pedir ajuda, muito subtilmente. I think...:)

Jedi Master Atomic disse...

Alice,

Bem vinda ao blog.
O facto de seres "quase" licenciada, não significa que estejas perto de ser uma profissional de aconselhamento. Tal como qualquer pessoa que esteja a terminar um licenciamento em qualquer área, não está habilitada logo a ser uma senior nessa área. O que eu queria dizer é que conselhos profundos, não devem ser dados por amigos e sim por profissionais qualificados.

Nós, como amigos, podemos dar alguns conselhos, sempre com a melhor das intenções. Mas os conselhos devem ser limitados a factos ou às várias alternativas e não a um caminho especifico.

Uma coisa é pedir conselhos, outra é saber como os dar, de forma a não prejudicar ainda mais.

Silly disse...

Pah, não sei, provavelmente diria a ele para tentar falar com ela, e para ser duro com ela a ver se ela deitava tudo cá para fora sem mentiras.

Falcão disse...

Eu sem dúvida dizia ao Paulo : "A serio?? Estão a terminar?! Que chatice."
Dava-lhe o ombro nos próximos 5 minutos enquanto pensava ao mesmo tempo como arranjar o número da Maria.. :)

Falcão disse...

Onde se lê Paulo, leia-se Mário.
Sou tão amigo dele que me enganei no nome. Perdão.

Verdinha disse...

loool, eu nao sou assim taoooo anti social. eu vi a guida enquanto eu andava a fazer promoçao e apesar de estar morta de cansaço fui la falar c ela, quer dizer, mais ou menos, disse lhe onde estava a acetona, disse lhe k lia o blog dela mas n lhe disse kem eu era. LOOOL.. mas foi so por causa do cansaço XD

Bafejada pelas Musas disse...

Eu sou nova neste cantinho mas gostei do desafio e decidi comentar:)
Eu penso que o mario estava a optar por uma opção limite. O divorcio. aconselhava a tentar perceber melhor o que se andava a passar em casa. Porque há sempre duas hipóteses. A maria pode estar com problemas e não querer contar e começar a guardar para ela(muitas pessoas desenvolvem profundas depressões sobre coisas leves que as levam a agir de um modo estranho e a afastarem se até da família que a fazia feliz). Se de facto se tratasse de depressão, descontentamento profissional sexual ou familiar, ou até mesmo falta de vida social e saudades dos tempos com as amigas, isso resolve-se. pode ser difícil mas resolve se. por outro lado temos uma possivel traição. que também pode ter acontecido devido às razões por mim apontadas.Pode também ter deixado de o amar, o que não implica nem traição nem depressão por descontentamento. Daí a distancia... Eles devem falar e decidirem se pelo que os deixaria melhor a longo prazo.

Lol até quero ver que análise vai sair daqui:D**** dclp a invasão:)