2009-05-12

Loveómetro

Um post da Miss Glitering fez-me pensar num assunto que já vi repetido por várias bocas femininas durante o meu tempo de vida. E que assunto é esse?

Pois bem, é a capacidade de uma mulher medir o amor que o seu companheiro sente por ela, baseada nas vezes em que fazem amor por mês. Já não é a 1ª nem será a última vez que ouço/vejo uma mulher dizer algo do género "Ele não faz amor comigo há X tempo, portanto....", terminando com uma conclusão altamente cientifica.

Para terminar com algumas duvidas sobre esse assunto, vou contar o que se passa na cabeça dos homens. Podem esquecer essa parvoíce do fazer amor/gosta muito de mim. Os homens não pensam assim, talvez as mulheres pensem, mas os homens não.

Se ele faz amor contigo todos os dias, não é porque te ama como nunca amou ninguém na vida. É, simplesmente, porque lhe dás TUSA. Sim isso mesmo, TUSA !!! Se a frequência das relações baixa para, por exemplo, 1 por mês, isso não significa que ele não te ame. Significa que já não tem assim tanta TUSA, ou tem chatices no trabalho ou na família. Se deixaram de fazer amor há 6 meses atrás, é porque a TUSA acabou de vez e se calhar ele arranjou outra que lhe dá TUSA. MAS, por mais parvo que isto possa parecer, isso não significa que ele não te ame !!!

O amor para os homens está num compartimento diferente daquele em que está o desejo sexual. O homem consegue fazer amor com uma mulher sem sentir grande coisa por ela, baseado somente no aspecto físico, ou seja.....como já adivinharam.....na TUSA que ela lhe dá. Daí haver tantas traições em que o homem jura que ama a mulher e que "apenas" precisou de "esvaziar" o stress para outro lado.

Atenção que não estou a dizer que isso é uma atitude correcta, porque como é óbvio, não é. Para mim, se já não há desejo sexual pela parceira, a relação TEM que acabar, ou arranjar alguma forma de "reacender a chama".

Conclusão: esqueçam lá isso de avaliar o amor de um homem pela frequência das relações sexuais, ok.

13 comentários:

Daniel Silva (Lobinho) disse...

HUm... nao será assim tao linear...

O sexo, o desejo, são ingredientes, mas acredito que possam existir relações de AMOR mesmo sem haver sexo regularmente.

ab

Marilena' disse...

obrigada :)

Cat disse...

Para os homens, o amor estar num compartimento diferente do desejo, é mais do que sabido. A diminuição da frequência do acto não significar diminuição do amor é tão facilmente compreensível como a grande frequência poder, nem sequer, significar amor.

Mas obrigado por este post de homem p/mulheres :)

Olhos Dourados disse...

Opá, os homens são muito esquisitos!

Nanny disse...

Belíssima teoria, amigo, ou deverei dizer exposição?

Efectivamente os homens conseguem "compartimentar" o amor e a tusa em "ficheiros" diferentes, e ter sexo com alguém por quem não sentem nada mais que tusa... e isso eu entendo bem... não entendo é como é que se pode amar sem ter tusa... acho que a coisa vira amizade, ou qqr coisa assim, Sei Lá!

Jocas, miúdo!

Hannah disse...

... Então tudo se resume à tusa?...
... ok, são opiniões...

Jedi Master Atomic disse...

Daniel e Nanny,

Também acho que é mais dificil haver amor sem ter tusa, mas conheço casos bem proximos de mim. Não é o mais comum, de facto.


Marilena,

De nada.


Cat,

21 aninhos e já sabe tanto....lol :P
Empina mais um bocado esse nariz pah :P


Olhos dourados,

Por isso é que voces nos adoram :P


Hannah,

Tudo o que?
Eu só falei num critério de avaliação que as mulheres têm sobre o amor que os homens sentem por elas.

grassa disse...

Isso quer dizer que a minha mão esquerda dá-me tusa?

E será que a amo?

Odalisca disse...

lol
pois grassa deve ser isso ...

Jedi Master Atomic disse...

Grassa,

Este post só é aplicavel a seres humanos, mas de facto, a tua mão esquerda deve ser especial :P


Odalisca,

Deves querer deves :P

Cat disse...

Jedi: estás-te a meter comigo? xD

A disse...

acho que podemos todos concordar num meio termo. o sexo não é um bom medidor de amor, já dizia o ditado:

lá porque mame, não quer dizer que a ame.

grassa disse...

O melhor medidor de amor que conheço é a rapidez com que uma mulher me consegue ir buscar uma mini.

E posso-vos assegurar que, por essa ordem de ideias, ainda não sei o que é verdadeiro amor.